Acesse PROJETO IDE

sexta-feira, 16 de abril de 2010

O GRANDE AVIVAMENTO DA CHINA



- Entre, entre - disse Bao. - Deixe-me apresentar meus amigos a você.... Um deles era o Sr. Cheng... Professor de Ciências...Bao apresentou a outro, com uma piscadela, "Nicodemos"...

- Estou interrompendo a Festa? - perguntei, colocando algumas castanhas de caju sobre a mesa.

- Ah, por favor, junte-se a nós - disse Bao e encheu para mim um copo de líquido de aparência radioativa. - Esta é uma ocasião especial.

- Que ocasião?

Cheng respondeu:

- Estamos fazendo um brinde em memória do homem que fez mais do que qualquer outro para trazer à nossa amada China o maior reavivamento da historia do cristianismo!

Intrigado, eu disse:

- Vou brindar a esse sujeito! - e levantamos os nossos copos.

- A Mao Tsé - tung! - disseram eles em coro.

Engasguei, e uma castanha de caju caiu no copo de vinho.

- Descupem-me - disse ofegante --- Devo ter ouvido mal. Por um segundo, pensei ter ouvido vocês todos dizerem Mao Tsé -tung!

- Dissemos! - Afirmou Bao.

- Não entendi! - Disse, - Mao não foi um mostro?

- Deus usa também os mostros! respondeu Bao inigmaticamente.

- Ah, você precisa de um pouco mais de bebida!...

- Vocês estão brincando, certo? - disse. - Pensei que diriam Jonh Sung, Watchman Nee ou Wang Mingdao.

Então me ocorreu uma idéia.

-Mao Tsé-sung é o código para um desses três ou algum outro?

- Não! disse Nicodemos. - Estamos nos referindo ao nosso Mao.

- Não compreendo! - disse novamente.

- Nem nós... durante muito tempo! - declarou o sr. Cheng brandamente.

- E muitos ainda não entendem! - acrescentou Nicodemos.

Bao se sentou no único móvel de qualidade do seu apartamento - um sofá de jacarandá envernizado.

- O povo Chinês - começou ele - nunca foi particulamente religioso; religioso no sentido em que são os Indonésios ou os Indianos. Nós somos um povo pragmático. Nossa cultura é o confucionismo, e Confúcio

ensinou as pessoas a não desperdiçar seu tempo fazendo pergunta sem resposta, como "Deus existe?". Ele nos aconselhou a nos concentrar em verdadades que guiam nossa vida, ética simples, se você assim preferir. Não, nós não somos um povo religioso! Não permitimos que os deuses interfiram em nosso sustento.

Eu o interrompi.

- E quanto a todos os templos? Todos os deuses?

Chen respondeu:

- Certo, nós temos uma religião tradicional, mas ela é superficial.

se alguem quer um pouco de boa sorte, bate com uma vareta de incenso numa laranja, talvez espalhe um pouco de nozes em volta e ofereça isso a um deus, na esperança de obter um pouco de boa sorte - sorriu ele. - Isso é tudo. É como ler o seu horóscopo. Não existe um Deus transcendente que exija algo de nós. Não há figura de Salvador. Não existe absolutamente noção real de fé...

- Talvez seja por isso que o cristianismo nunca se difundiu de fato na China...

- E então apareceu Mao Tsé-tung - disse o professor Bao - e ele mudou tudo isso. Vocês sabem o que ele nos disse? Ele bis disse que íriamos construir o céu na terra. Ele disse que o construiríamos por meio da verdade. Ele disse que somente poderíamos fazê-lo pela fé - um no outro. Ele disse que faríamos parte de uma China eterna.

Nicodemos se abriu:

- Então ele nos organizou. Ele nos deu hinos para cantar. Instituiu rituais de confissão e arrependimento chamados "reuniões de luta". Ele até nos forçou a nos reunir em pequenos grupos para expormos juntos um texto "sagrado"...

O pequeno Livro Vermelho! - gritei.

Cheng se levantou.

No auge disso tudo, ele nos reunia na Praça da Paz Celestial. Milhões iam até lá, especialmente os jovens. Mao saía à sacada e abria os braços para os lados, com a palma das mãos para cima, quase na posição de um crucifixo. - A multidão trovejava, adulando-o, batendo o Pequeno Livro Vermelho no peito. Ele não precisava dizer nada.

Bao perguntou:

- Você sabe o que ele estava fazendo?

- Fazendo o papel de Deus - respondi.

- Exatamente! Ou, mais precisamente, ensinando o povo Chinês a adorar!.

Todos nós fizemos silêncio.Olhei para os três. O rosto deles eram marcado por rugas de preoucupação, causadas por anos de sofrimento... tipos de torturas que eles teriam suportado... ante surras e ferroadas dos anos de desespero.

- Mas vocês tinham de adorar somente a ele, certo? - Perguntei.

- Isso era o que tornava tão difícil!

Bao respondeu mais devagar.

- Sim ele tornou-se deus, e um deus ciumento. Não permitia o culto a nenhum outro deus. Ele fechou as igrejas, prendeu os pastores, queimou as Bíblias - aniquilou a igreja visível. Muitos cristãos queridos morreram.

Foi uma época horrivél.

Nicodemos disse, com ar de tristeza:

- Na época, eu era um perseguidor. Eu odiava os cristãos de todo o meu coração e tenho coisas ruins em minha conciência. Joguei um pastor da janela do segundo andar, e ele quebrou a espinha dorsal. Mesmo assim foi mandado para um campo de trabalho forçados na zona rural.

Após um longo silêncio, perguntei:

- E que isso tem a ver com o maior reavivamento do mundo?

- Bem disse Bao -, Mao morreu em 1976. Veja, supõe-se que os deuses não morrem.Então, em em 1978, Deng Xiaoping assumiu o poder...

- Deng permitiu que a população viajasse novamente de uma para a outra provícia sem necessidade de papelada e permissões... os poucos evangelistas que restaram, como eu, começaram a pregar o evangelho na zona rural, e o que aconteceu em seguida foi maior choque de nossa vida...

- Nós começámos a falar-lhes a respeito de Jesus Cristo - atalhou o sr. Cheng - e as pessoas gritavam: "Basta, queremos crer!"

- Eu eu lhes dizia:" Esperem um minuto. Vocês não ouviram ainda a história toda" - disse Bao rindo. - E eles diziam: Não, esse é o Deus que Mao nos ensinou a procurar. Achavamos que era Mao que nos salvaria, mas isso não aconteceu, porque ele morreu. Vemos agora que deve ser ser Jesus"....

Outros evangelistas relataram o mesmo, e então por volta de 1980, um reavivamento de proporções gigantescas começou a varrer a vasta zona rural da China...

O dr.Jonathan Chao, calculava o tamanho do reavivamento rural em 50 milhões de pessoas...

- É por isso que dizemos que Mao nos trouxe este imenso reavivamento - disse Bao - Ele criou uma sociedade cheia de adoradores, e, quando o objeto de culto deles morreu, se tornaram uma sociedade de interressados com a intenção de encontrar outro deus.

- Quando o ídolo é esmagado, o evangelho cresce - disse Nicodemos.

- Então o que vocês estão celebrando é essa ironia. Quando Mao pensou ser o grande aniquilador da Igreja, na verdade estava fazendo pré evangelismo em proporções únicas na história humana ...
- Exatamente! - disse Bao. - Mao intentou o mal, mas Deus transformou isso em bem. Mao foi usado para preparar este país para o maior derramamento do Espirito jamais visto na Igreja.
"ELE É A LOUCURA DE DEUS!"
"E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente par o bem daqueles que amam a Deus..." Romanos 8:28a
* Texto extraído do livro: A fé que persevera- Guia essencial sobre a perseguição à Igreja.
Autor: Ronald Boyd-MacMillan; prefácio do Irmão André; Tradução Onofre Muniz.
São Paulo: Missão Portas Abertas, 2009.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário